BLACK MIRROR

Black Mirror é um projeto experimental onde a essência é o jogo entre esconder e revelar. Jogam fotógrafo e modelos. Jogam lentes, luz e sombra com receios e corpos. O nu não é desejo das lentes, mas o cru da pele que só se mostra nos instantes em que a luz toca os corpos.

A proposta de estar livre dos artifícios que enaltecessem a estética, exige dos modelos que se dispam, ainda mais. Deixam vazar individualidades que se revelam nas escolhas de posturas, nas expressões e nos limites. Movimentos e porções de tempo que capturados na câmera ganham sua existência nas fotografias dos mais de 50 ensaios realizados, entre convites do artista e ofertas espontâneas.

Black Mirror nos dá outro olhar sobre um corpo de sensualidade explorada. São faces aprazíveis e sutis, superfícies experimentadas pela não-luz, não-revelação, não-sugestão. O que desenha as formas é aquilo que está oculto pelas sombras.

Um retrato emoldurado por uma infinita escuridão.